Muitas vezes recebo ligação/e-mail de cliente para perguntar o porquê de um determinado e-mail estar voltando. Provavelmente este cliente estava enviando um e-mail para [email protected] e de imediato recebia uma resposta um tanto complexa para leigos. Quando acontece isso, sempre solicito que me encaminhe este e-mail que foi retornado, pois geralmente contém o log de erro que informa a causa da falha na entrega. Com o log em mãos, posso ajudar o cliente a tomar as ações necessárias.

Outra situação comum é que quando o problema é interno no meu servidor, eu peço alguns minutos para analisar o log e verificar o causa do erro. Após isso, sempre comprovo enviando um e-mail para este solicitante informando assim: “Prezado fulano, segue abaixo o log que comprova…”.

Em um belo dia, recebo um e-mail de um cliente dizendo: “Tiago, o e-mail cadastrado no sistema financeiro, que envia boletos, não está mais funcionando, como corrigir?”. Como de costume, respondi imediatamente solicitando que me enviasse o log do programa financeiro que tentaria ajudar da melhor forma possível. Minutos depois o cliente me pergunta: o que é log?

Por alguns minutos fiquei parado pensando como explicaria o que é log para uma pessoa leiga em assuntos de informática. zzzzZZZZ!!!

Pegando o gancho do Wikipédia “em computação, log de dados é uma expressão utilizada para descrever o processo de registro de eventos relevantes num sistema computacional. Esse registro pode ser utilizado para restabelecer o estado original de um sistema ou para que um administrador conheça o seu comportamento no passado”. De uma forma mais simples, tudo o que for importante dentro de um sistema computacional é registado em um arquivo, geralmente de texto, para que no futuro os responsáveis possam identificar os eventos ocorridos. Na maioria dos casos, precisamos de logs para identificar as causas do erro do sistema, mas é sempre bom acompanhá-los frequentemente para que você tenha certeza que o sistema está funcionando da maneira esperada.

Imagine uma regra de backup em que todos os dias o sistema copia arquivos de um local para outro e gera um log informando a data/hora de início e fim da tarefa e o status do processo. Se você não acompanhar o log diariamente não saberá que a tarefa está sendo realizada conforme programada. Um belo dia, você precisa restaurar um arquivo e quando vai olhar a pasta do backup, percebe que nada tem ali e bate aquele desespero! A ação imediata é abrir o arquivo de log e ver o que aconteceu. E para pesar ainda mais sua consciência, no log estaria escrito “05/11/2012 09:48:02 – Erro ao copiar arquivo -> destino não tem espaço suficiente”. Como pode observar, a causa do erro foi algo relevante, porém, simples de resolver. Bastava ampliar o espaço de armazenamento do destino. Se estivesse acompanhando diariamente os logs, não passaria por situações indesejáveis como esta. Então fica a dica, não espere um bug para acompanhar o log de dados.

Outra questão importante de se registrar log é em relação ao Direito da Tecnologia da Informação já que só é possível identificar a autoria de ações no ambiente virtual através das análises de logs. Mas, isso não é um assunto que eu devo entrar em detalhes, afinal não sou advogado nem muito menos perito no assunto em questão. Então, convido o grande amigo Samuel Cersosimo do viasdefato.com para compartilhar os seus conhecimentos e falar um pouco sobre a importância de logs no Direito da Tecnologia da Informação.